Ficar molhadinha não é apenas uma parte fundamental do sexo, mas também uma das mais divertidas principalmente quando ela corresponde ao nosso grau de excitação e surpreende o parceiro, ou parceira né?! Aqui toda forma de amor é bem vinda.

Geralmente sabemos e sentimos quando começa a fluir, mas poucas pessoas realmente sabem como ela é produzida. A lubrificação vaginal é desencadeada pelo sangue que flui em direção a pelve durante a excitação. O fluido é produzido pela glândula de Bartholin que fica em próximo a entrada do canal vaginal, é uma glândula bem superficial. 

Image result for glandula de bartholin

É fácil diferenciar a lubrificação do muco vaginal porque é muito mais escorregadio, transparente e recobre a vulva quando as coisas começam a esquentar. Ao longo da vida a mulher irá perceber a diferença de produção em situações como pós parto, menopausa , stress e até mesmo com medicamentos como antidepressivos e anticoncepcionais.

Você deve estar se perguntando se existe alguma quantidade ideal de lubrificação para ser considerado normal? Alias, não curto muito usar a palavra “normal” para falar de resposta sexual já que cada pessoa tem seu ritmo, suas fantasias e preliminar ideal para deixar fluir. Sabemos que algumas mulheres tem dificuldade de produzir lubrificação naturalmente e precisam usar lubrificante sintéticos, enquanto outras podem produzir tanto que podem reduzir a sensação durante a relação e vão odiar este excesso de umidade. Mas cerca de 1 colher de sobremesa a 1 colher de sopa é uma boa média para não ressecar com facilidade.

Para aquelas que produzem demais e ficam chateadas convido a relaxar e valorizar esta riqueza da natureza, já que a lubrificação tem entre tantas funções o aumento da imunidade local e hidratação da mucosa, pode ser ruim com excesso, mas pior na escassez, vale tirar o excesso com o lençol e curtir felizona sua noite.

Se você é do time que está em ritmo reduzido vale seguir algumas dicas para evitar uma fricção desconfortável e até mesmo fissuras na mucosa:

  • Capriche nas preliminares. Se o cérebro não estiver sintonizado com o sexo a vagina não vai lubrificar.
  • Se necessário utilize lubrificantes a base de água ou siliconados para tornar a relação confortável. Lembre que óleos podem danificar o preservativo caso esteja utilizando.
  • Se após a masturbação ou penetração você sentir que ficou machucada hidrate sua mucosa com óleo de coco extra virgem. Ele é rico em vitamina E que vai ajudar na recuperação do tecido.
  • Pratique exercícios íntimos para estimular sua lubrificação. Nossas glândulas de Bartholin são rodeadas por músculos e isso ajudará na sua produção. 
  • Converse com sua ginecologista para fazer exames hormonais e averiguar se está tudo certinho. O hormônio estrogênio está diretamente ligado com a nossa lubrificação.
  • Lembre que saliva não é a melhor solução já que provavelmente irá secar rapidinho.

Como anda a lubrificação por aí? Aqui vai muito bem obrigado! Mas tenho que admitir que tive um momento pessimo na vida enquanto utilizada anticoncepcional. 

Contatos

E-mail: vaginasemneura@vaginasemneura.com.br
Site: vaginasemneura.com.br
Porto Alegre - RS